fbpx

Protocolo Covid para sua clínica durante a pandemia.

Em meados de Março/2020 o país começou a sentir os impactos da doença que ficou conhecida por COVID-19, com o isolamento social a população precisou se adaptar a uma nova rotina que trouxe consequências na saúde de muitas pessoas. Além de novos hábitos que se tornaram obrigatório.

Muitos serviços, shows, eventos e empresas foram temporariamente fechados e adiados por questão de segurança da saúde pública.

Inclusive, consultórios e clínicas passaram a funcionar apenas para casos de emergência, como forma de proteção para os pacientes e também dos profissionais que ficam expostos.

Existem algumas recomendações gerais que todos devem seguir, como: lavar bem as mãos com água e sabão sempre que tocar em alguma superfície não esterilizada, e quando não puder lavar, usar álcool gel, evitar sair de casa sendo somente em casos urgentes e nesses casos usar máscaras.

Mas quando se trata de profissionais de linha de frente, seguir essas recomendações é ainda mais importante, pois estão expostos diariamente a um grande risco.

Sendo profissional da área da saúde os cuidados devem dobrar mais uma vez, pois estes são expostos ao contato com áreas de grande contágio.

No caso do profissional odontológico, por tratar diretamente da principal fonte de transmissão, para manter sua clínica em atendimento deve seguir alguns cuidados específicos, além de evitar procedimentos estéticos, como para colocar lente de contato.

Mas como devem se prevenir e a seus pacientes?

Biossegurança: como se prevenir no Covid-19

Para garantir a segurança dos cirurgiões-dentista, auxiliares e técnicos de saúde bucal e, claro, seus pacientes, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo produziu um manual de biossegurança.

A principal recomendação é que seja evitado ao máximo as visitas a clínicas, sendo apenas para casos extremos como tratamento de canal ou então tratamentos que já estejam em andamento que não podem ser interrompidos como os casos de aparelhos ortodônticos, como um paciente que use o aparelho invisível.

Pensando nesses casos, o documento promove higienização e proteção para prevenir infecções durante o atendimento.

Para isso é preciso lembrar que mesmo que contaminados o paciente pode ser sintomáticos e mesmo assim conter elevada carga viral nas vias bucais, por isso é necessário realizar todos os atendimentos considerando que o paciente possa estar contaminado e seguir todas as orientações.

1- Higienize sua mãos

Essa está entre as orientações genéricas, mas para vale ressaltar novamente aqui. O profissional de saúde bucal já precisa ter as mãos sempre higienizadas, mas neste momento isso é necessário com ainda mais frequência e atenção.

  • Antes de entrar em contato com o paciente
  • Antes de realizar qualquer procedimento
  • Após exposição de saliva ou sangue
  • Após atendimento ao sair da sala
  • Antes e depois de contato com paciente ou qualquer superfície não esterilizada

Banner - WhatsApp ControleODONTO

2- Converse com seus pacientes

Sabe aquele contato rotineiro para confirmar o agendamento dos pacientes? Agora você vai acrescentar mais uma pergunta nesse contato.

A primeira coisa a se fazer ao chegar na sua clínica odontológica é conferir como está a saúde de todos os pacientes agendados para o dia, ou seja, certificar-se se possui algum sintoma da doença, sendo elas: gripe, tosse, coriza, espirros, falta de ar ou febre.

Se eu paciente contém algum desses sintomas é recomendado desmarcar a consulta por hora e instruí-lo a procurar atendimento médico.

3- Não permita a entrada na sua clínica sem o uso de máscara

Assim como em todos os estabelecimentos no momento, deve orientar todos seus pacientes a usar máscara ao entrar e tirá-la apenas durante o atendimento.

As orientações do CROSP nesse caso, é que a máscara seja guardada em um saco descartável no momento do atendimento e ao finalizar já colocá-la novamente e jogar o saco no lixo.

Além disso, oriente seu paciente a não levar nada além do essencial,inclusive, não deve mexer em nada que possa conter vírus dentro da sala de atendimento, como celular, carteira, fones de ouvido, etc.

4- Evite aglomeração

O atendimento deve ser individual, apenas o paciente deve entrar na sala e em caso de paciente que seja menor de idade, deve vir apenas ele e um responsável, que deve aguardar na recepção.

Também é necessário organizar sua agenda, para que os horários sejam espaçados o suficiente para que tenha tempo de higienizar todo a clínica após o atendimento. E claro, evitar que haja fila de espera na recepção, então considere os possíveis atrasos.

5- Disponibilize bochechos

Antes de iniciar o atendimento, você pode disponibilizar uma solução de bochecho para os seus pacientes, assim é possível diminuir a carga de microbiana na cavidade bucal e garante maior segurança para você.

6- Procedimentos internos

É recomendado que todos os profissionais presentes devem usar aventais, gorros, óculos de proteção, viseiras, luvas e respirador PFF-2/N95 para prevenção de contaminação dos pacientes.

Além de ser essencial levar a sério a higienização de toda a superfície do clínica após cada atendimento.

Essas recomendações são necessárias para garantir a segurança e bem estar tanto dos pacientes quanto dos profissionais, então o quanto for possível minimizar o risco de transmissão, melhor será para a qualidade do serviço e da proteção do ambiente.

Como o Marketing Digital pode ajudar?

Aproveite suas redes sociais para divulgar a agenda e restrições que está seguindo, as orientações e cuidados do manual de biossegurança e também pode aproveitar para desenvolver conteúdos educativos.

Você pode fazer isso por meio de lives, bate papo e publicações para esclarecer as dúvidas mais frequentes, para isso você pode usar ferramentas como: redes sociais, e-mail marketing, anúncios, etc.

Mesmo com o isolamento o mercado continua evoluindo e exigindo inovação, então nesse momento você deve seguir as orientações para garantir a segurança sem deixar de lado seu negócio.

Afinal, em casos de emergência seus pacientes dependem de você, então esteja preparado para ajudá-los sem arriscar sua saúde e nem a deles.

Conteúdo produzido por Giulia Vaz, redatora na empresa Clínica Ideal

Software para Clínicas