fbpx

Saúde digital: entenda a revolução nos processos de Gestão Clínica

Os avanços tecnológicos sempre foram primordiais para o desenvolvimento da medicina, possibilitando melhorias nos diagnósticos e tratamento dos pacientes.
A saúde digital, e-Saúde ou Saúde 4.0 é uma tendência inevitável para o futuro da medicina, que proporciona uma série de impactos na qualidade de vida dos pacientes e integração de informações.
Continue a leitura do nosso artigo e entenda o que é saúde digital e os inúmeros benefícios que esta ferramenta pode acarretar para as clínicas, hospitais e pacientes. Vamos lá?

Conceito de saúde digital

Saúde digital é uma área que tem sido aprimorada e implantada por países de todo o mundo no intuito de utilizar tecnologias de informação e comunicação para melhorar o acesso à saúde.
Essa ferramenta ajuda a tornar a medicina mais personalizada, permitindo acesso amplo e facilitado a todo tipo de informação do paciente, além de laudos a distância, estudos e estatísticas atualizados, novos procedimentos, entre outros.
Além disso, a saúde digital permite reduzir erros e ineficiências no tratamento e diagnósticos dos pacientes por meio de alertas de atualizações em medicamentos e condutas, além de cursos e treinamentos online.
Esse sistema também auxilia no rastreamento de surtos de doenças, permitindo ações rápidas e efetivas para sua contenção como, por exemplo, mensagens de texto para prevenção. Alertas e orientações de doenças como a dengue são exemplos de tecnologias de saúde digital.
Enfim, esse sistema permite incorporar máquinas, dispositivos móveis e inteligência artificial capazes de captar a informação e utilizá-la em prol da medicina e bem-estar do paciente.

Principais benefícios da saúde digital

A seguir, descreveremos os principais benefícios da saúde digital tanto para o profissional de saúde, quanto para o paciente.

Melhoria da relação do médico com o paciente

Softwares de tecnologia, como o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), permitem um atendimento mais personalizado e humanizado, proporcionando maior satisfação e aderência do paciente ao tratamento.
Por meio de qualquer dispositivo conectava à internet, profissionais de saúde podem orientar seus pacientes com lembretes e avisos para seguir dietas, tomar medicamentos e até mesmo prevenir doenças, buscando aumentar a longevidade e qualidade de vida de diversas pessoas.

Automação dos processos

A utilização de softwares permite reduzir erros e falhas causadas por desorganização de agendas, perdas de papéis com informações importantes e armazenamento de dados.
Além disso, esse processo facilita o trabalho das secretárias, armazenando e organizando dados da clínica como prontuários, agenda de procedimentos, organização das finanças e balanço de materiais.

Acesso amplo à informação

Como já foi comentado, o PEP permite integrar todas as informações de um paciente em uma única plataforma, que pode ser acessada de qualquer dispositivo móvel, permitindo melhorar a qualidade dos atendimentos prestados.
A saúde digital tem por objetivo unificar todas as informações do paciente, como doenças crônicas, cirurgias prévias, uso de medicamentos diretos, consultas com outros especialistas e exames. Essas informações podem ser amplamente acessadas e compartilhadas por todos os profissionais da saúde que estejam acompanhando o paciente.
O compartilhamento dessas informações permite aos profissionais conhecer todo o histórico médico do paciente, elaborando diagnósticos mais precisos e evitando perda de tempo e recursos com perguntas e exames repetidos.
O acesso a dados epidemiológicos disponíveis em tempo real também contribui na escolha pelo melhor tratamento e manejo do caso clínico.

Telemedicina ou E-saúde

A telemedicina se refere a uma área que utiliza tecnologias para realizar diagnósticos, monitoração e atendimentos, inclusive a distância.
Esse sistema já é implantado em vários países da Europa e utiliza dados coletados por dispositivos médicos para sugerir condutas e tratamentos. Os dados coletados em tempo real pelo dispositivo são processados por algoritmos de inteligência artificial que enviam as sugestões por meio de internet.
Esses dispositivos têm capacidade para monitorar o ser humano em suas atividades cotidianas, coletando informações sobre pressão arterial, frequência cardíaca, performance durante atividades físicas e qualidade da alimentação. Esses dados são utilizados para fornecer dicas de como prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida.
Além disso, existe a possibilidade de consultas a distância, o que permite acesso a atendimento e laudos em regiões subdesenvolvidas que não têm especialistas. Mas você deve estar se perguntando: como seria uma consulta a distância?
A consulta a distância é realizada por meio de agendamento online. No horário agendado, médico e paciente fazem a conexão e conversam sobre os sintomas e demais informações. O médico pode examinar o paciente pela câmera e por aparelhos digitais que são capazes de colher dados vitais e permitir ao profissional realizar ausculta cardíaca e pulmonar.
Porém, pode ser que ainda assim o médico solicite uma consulta presencial. Mas essa ferramenta pode ampliar muito o acesso à saúde em lugares remotos, melhorando a qualidade de vida, além de otimizar o tempo do médico e paciente.

Principais setores da saúde digital

A saúde digital se baseia na Internet das Coisas (IoT) e no compartilhamento em nuvem. Essas ferramentas estão interligadas no intuito de garantir a saúde e bem-estar do ser humano em todo o mundo.
A IoT permite ampla comunicação e cooperação de diversos sistemas no intuito de utilizar a tecnologia em prol da medicina. A coleta de dados em tempo real do paciente permite evitar problemas de saúde, além de possibilitar os melhores tratamentos.
O compartilhamento em nuvem é a forma mais segura de armazenamento de informações, com acesso amplo e facilitado a todo tipo de informação.

Principais desafios da saúde digital no Brasil

Infelizmente, nosso país ainda carece de infraestrutura adequada para se implantar a saúde digital em todo o território. A saúde pública ainda é carregada de problemas, como dificuldade de acesso a atendimento em algumas regiões, hospitais superlotados, grande parte dos registros em papéis, falta de leitos e suporte, entre outros.
Logo, para implementar um sistema digital esses problemas básicos devem ser resolvidos. Outras dificuldades impostas são a falta de equipes qualificadas, tecnologias ultrapassadas, falta de preparo dos profissionais mais velhos etc.

Casos de sucesso implantados no Brasil

O PEP é um prontuário digital e padronizado que armazena informações sobre todo o histórico médico do paciente. A maioria das clínicas e hospitais no Brasil já utiliza esse tipo de tecnologia, principalmente nas capitais e regiões centrais.
O prontuário evita erros como perda e equívocos de informações, além de erros na agenda. Além disso, permite que você encontre rapidamente as informações do paciente e possa recebê-lo mais preparado e com um atendimento mais humanizado.
O PEP ainda tem como vantagem diminuir custos, pois dispensa funcionários de tarefas repetitivas, gerenciando melhor seu tempo, evitando faltas de pacientes e economia de materiais, como papéis e locais para armazenamento.
A saúde digital permite aprimorar as estratégias de promoção e prevenção em saúde, incorporando as mais novas tecnologias e priorizando o cuidado com o paciente.
É fundamental o preparo das clínicas e hospitais para aderir à saúde digital no intuito de prezar pela qualidade de vida e bem-estar dos pacientes, oferecendo atendimentos de qualidade e tratamentos eficazes.
Quer saber como implementar a saúde digital na sua clínica? Entre em contato conosco!

Software para Clínicas